Música: Os favoritos do momento

Desde que o Lollapalooza rolou no mês passado eu tenho tentado conferir (babando pelo youtube) os artistas que vieram pro festival, e a descoberta mais preciosa que fiz foi a banda Tame Impala. Me apaixonei muito pelo rock psicodélico dessa banda, principalmente o álbum mais recente deles, Currents. São músicas que combinam melancolia e felicidade, passando aquela sensação de ser transportado que sentimos quando ouvimos U2 bem alto, sabe?

Agora, eu preciso dizer que nunca jamais imaginei que fosse curtir tanto uma banda com tanta base eletrônica. Sempre fui fã de rock clássico e por muito tempo caí naquela ideia ignorante de que só ele prestava como gênero musical. Pra se ter uma ideia, a primeira vez em que me rendi à uma batida eletrônica foi depois que o Troye Sivan lançou Wild, no ano passado. E, aliás, vou aproveitar pra falar sobre esse rapaz, que virou meu xodó.

Já falei sobre ele por aqui, mas foi antes do álbum Blue Neighbourhood ser lançado completo, com suas 16 faixas. Só preciso dizer que, desde o dia em que o álbum foi lançado em dezembro, eu o ouço todos os dias e ainda não enjoei. É difícil de acreditar que alguém de vinte anos tenha criado músicas tão verdadeiras e com melodias tão deliciosas. Minha favorita era Ease, agora empata com Heaven, Suburbia e Lost Boy (mas sério, o álbum inteiro é degustaste).

O rock sempre vai ser essa força cósmica de liberdade pela qual me apaixonei na primeira vez que assisti Quase Famosos, ou quando ouvi The Wall aos 14 anos, mas como tem sido bom me apaixonar pelo contemporâneo! Cada vez mais acho absurda a frase “não existe música boa sendo produzida hoje em dia” (na qual eu mesma costumava acreditar) existe sim, gente.

Talvez o fato de eu ter ouvido tantos clássicos faça com que eu selecione o que vou ouvir hoje com mais personalidade e não abrace qualquer coisa que mídia decida tornar famoso. Mas, acima de tudo, tenho procurado me conectar com quem sente o que eu sinto, por viver no mundo cada vez mais confuso e exigente em que vivo. É uma questão de sentimentos e vibração, e faz bem.

Anúncios

4 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s