O livro da minha vida

 

Na primeira vez que li Jane Eyre, falei pra minha prima “Esse livro fala com a minha alma”, e é exatamente assim que posso descrever minha relação com a história até hoje. Foi publicado em 1847, escrito por Charlotte Brontë, irmã da Emily, escritora de O Morro dos Ventos Uivantes. O enredo é esse: Jane, uma órfã, na infância é deixada aos cuidados de uma tia que não a ama e, mais tarde, em um orfanato com métodos cruéis de ensino. Quando entra na idade adulta, vai para Thornfield Hall, para ser tutora de Adele, uma criança sob cuidados do dono da casa, Edward Rochester. E, então, sim, Jane e ele se apaixonam.

Acontece que o casal dessa história foge do padrão por ambos serem completamente imperfeitos. Não são lindos, não são moralmente corretos na maior parte do tempo. Mas ambos são incrivelmente reais e profundos – e perturbados. Esses são dois dos personagens que mais amo e entendo, é meio inexplicável, mas os demônios deles fazem com que eu entenda melhor meus próprios demônios.

O cenário do livro me fascina. Em montanhas isoladas na Inglaterra do século XIX, passando a constante sensação de frio, céu nublado e solidão. Ainda tem um mistério creep que assombra a história – uma das surpresas mais famosas da literatura – responsável pela virada no enredo. Enfim, amo muito tudo isso!

Esse exemplar do livro é todo especial, uma edição única, em inglês, imprensada na década de 1980 pela Oxford, em papel especial e tudo – coisa de gente chique mesmo! E não, não é meu! Mas me foi emprestado por alguém muito bondoso haha!

A adaptação para o cinema foi sucesso, na minha opinião. A fotografia e a trilha sonora são maravilhosas e eu acho que captaram muito bem o lado dark da história. Mia Wasikowska e Michael Fassbender são perfeitos para os personagens principais. Enfim, muito amor!

 (Pôster mais lindo ever!)

E esse é meu lado mais romântico, é daqui, pra baixo hahaha

Anúncios

17 comentários

  1. Sua resenha ficou ótima, Isabela. Eu gosto muito deste livro e até fiz a resenha dele no meu blog. A melhor adaptação para o cinema, no entanto, eu acredito que tenha sido o clássico de 1944, com Orson Welles e Joan Fontaine.
    Um grande beijo.
    Alex

    Curtido por 1 pessoa

  2. Isa… morri de inveja branca agora… Sou louca para ler Jane Eyre faz anos… Mas, sempre tem uma desculpa básica… e teve também uns tempo que estava esgotado nas livrarias e quando saiu uma facada na alma o valor (mercado brasileiro tem os livros mais caro, não acha?). Pois é… e sigo eu com meu dilema… I need Jane Eyre… ele com certeza vai pra minha lista de privilégio para 2016.

    P.s. : Que orgulho ver uma moça tão jovem, tão inteligente e com gostos tão fascinantes por leitura. Parabéns!

    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

    1. Eu tenho o livro em versão de bolso, é bem simples, mas me fez feliz! Acho que foi sorte esbarrar com ele em uma livraria! Hahaha
      E sobre o elogio, nem sei o que dizer! Obrigada!! Mas saiba que seu último post foi um dos melhores que já li! Escrita e reflexões lindas!!
      Um beijo!

      Curtido por 1 pessoa

  3. Nunca li, mas amei a capa! Estou apaixonada hahaha amo essas capas duras mais antigas. ❤️👏🏻 adorei o jeito que descreveu tudo, geralmente não leio coisas clássicas, de época e afins, tipo orgulho e preconceito haha mas as vezes fico na curiosidade!
    Beijo :*

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s